para as mulheres da minha vida

terça-feira, março 08, 2016


[um obrigada ao espaço do meu coração, o Café com Calma.]

Atenção, leitores do sexo masculino! Não venho munida de discursos feministas. Não tenciono apregoar que a discriminação social, política, económica e profissional não esmoreceu e parece até querer disseminar-se a um ritmo assustador, apesar da nossa luta contra aqueles que teimam em andar para trás. É assim tão difícil dizer adeus a uma visão distorcida da igualdade de género? Nada temam, irmãs do vento. A esperança é um farol de luz e ainda há vozes que rasgam o silêncio. Emma Watson (no Reino Unido), Malala (no Paquistão), Michelle Obama (nos EUA), Carol Rossetti (no Brasil) e as nossas Capazes (que, recentemente, arrecadaram o Prémio Blogger E!) são a prova viva disso e relembram-nos os direitos que nos assistem enquanto cidadãs do mundo. Um brinde a todas nós! 

Assinala-se, hoje, 8 de março, o Dia Internacional da Mulher e em jeito de celebração desta data tão especial (que, claro está, deve ser comemorada diariamente), eu e a editora Saída de Emergência temos um convite para vós: por volta das 18h30 façam uma visita à Biblioteca de Belém e assistam à sessão de apresentação do maravilhoso livro Mulheres, da autoria da ilustradora Carol Rossetti, que estará por lá, para vos receber de braços abertos. Sim, poderão conhecê-la e agradecer-lhe pessoalmente este tesouro literário, que aninha em si mesmo uma das mais belas mensagens de respeito e dignidade humana. Catarina Furtado irá conduzir esta tertúlia, que tem como premissa refletir sobre os preconceitos e os estereótipos com o quais o nosso género se depara. Dia após dia. Vá lá, não desistam. Nunca! Sim? É imperativo!


"Há mulheres que não são ativistas, que nunca ouviram falar em feminismo, que nunca discutiram racismo. Mulheres que lutam de formas diferentes, a partir de ideias que não conhecemos. Existem mulheres que têm vergonha de partilhar as suas escolhas por medo de serem julgadas. E existem mulheres que discordam de tudo o que eu disse até aqui. Cada Mulher tem a sua própria história, e acredito que todas merecem ser ouvidas e representadas. A minha abordagem será abrangente, convidando todos os que partilhem comigo essa ideia de liberdade a celebrar a diversidade do ser humano", sublinha a autora.

Com apenas quatro anos de idade, Carol Rossetti começou a caminhar de mãos dadas com a ilustração. As folhas de papel transformaram-se na sua tela em branco e a caixa de lápis de cor a sua varinha de condão. O Mundo é a sua casa, mas é em Belo Horizonte que crescem vivazes as suas raízes. Colabora com o estúdio Café com Chocolate e já viu os seus trabalhos divulgados pela CNN, Cosmopolitan e Huffington Post. As histórias que acompanham os seus desenhos já foram traduzidas em mais de 15 línguas e destacadas pela comunidade Facebook Stories, por ser considerada um modelo a seguir.   

"Um homem não traz felicidade a uma mulher só porque sim": memorizei as palavras ditas por Maria Rueff no filme de "O Amor é Lindo... Porque Sim!" e elas não podiam fazer mais sentido para mim. É uma frase feita? Talvez. Mas é dela que precisamos quando o mundo nos parece demasiado negro. Aprendam a amar-se a vocês mesmas, a serem as capitãs do vosso navio, porque, esse sim, é o amor mais verdadeiro de todos É pela sua infinitude que temos de mover montanhas e não pela pessoa que não parece ser merecedora do nosso carinho. Vocês são especiais, únicas e eternas. Um dia feliz!

[© Sail and Swan]

---
MULHERES
de Carol Rossetti
Edições Chá das Cinco (Chancela Saída de Emergência)
À venda em todas as livrarias

You Might Also Like

2 comentários

  1. Infelizmente não posso ir à sessão de apresentação, mas quero muito este livro! Já está na minha lista :)

    It's ok

    ResponderEliminar